O REPLICADOR

Junho 07 2009

Num artigo do “i” a Marta Crawford surge novamente com concepções espiritualistas da sexualidade. Passo a citar:

 

Quando se fala em prazer sexual pensa-se irremediavelmente no orgasmo, como se esse momento, e só esse, representasse a cereja no cimo do bolo da sexualidade.

 

Todos agem em função desse momento, que entendem ser alcançado preferencialmente através do coito.”

 

Realmente, por mais bonita que seja, não gostava, nem um pouco, de ser o namorado daquela gaja, acho que ia chegar ao cúmulo da frustração sexual... Somos supostos correr a maratona até vermos a linha de chegada e parar 10 metros antes do final? Essa coisa de dizer que não deve ser o incentivo do orgasmo a conduzir as pessoas a terem sexo, é como dizer que os seres humanos não são movidos pelo interesse pessoal. Creio que algumas pessoas precisavam de relembrar que nos sentimos atraídos sexualmente, temos relações sexuais e orgasmos porque nascemos de pais que tiveram as mesmas experiências e que por sua vez nasceram de pais que sentiram tesão e que tiveram orgasmos etc...

 

Um pouco à imagem desta frase do neurocientista António Damásio, que diz que o cérebro humano não se desenvolveu para escrever poesia ou apreciar musica, mas sim para servir de “interface” entre o nosso organismo e o ambiente, a criatividade artística su

 

rgindo então como um efeito lateral, acho que não temos nada a ganhar em mistificar o sexo e construirmos um socialismo sexual, onde o prazer é regulado, e onde os que procuram o orgasmo serão designado de  egoístas. Convém também diferenciar o orgasmo masculino do feminino, o orgasmo masculino sendo directamente ligado a ejaculação, ou seja, funciona como incentivo directo a procriação. Já o orgasmo feminino (ver “Dos orgasmos femininos”) serve funções diferentes, e na equação que determina se a mulher vai ou não atingir o clímax, é sabido que o estatuto social do homem é a componente mais importante, independentemente do seu desempenho físico


 

publicado por Alexandre Oliveira às 14:46

Política, Filosofia, Ciência e Observações Descategorizadas
Facebook
pesquisar
 
RSS
eXTReMe Tracker