O REPLICADOR

Fevereiro 20 2010

Ler Sff

A crónica de Rui Tavares (comentada) - por LCD

publicado por Filipe Faria às 11:43

Caro Filipe, qual a razão para apresentar-me a revisão da coluna de um "esquerdalho"? Regulação: faz-se ou não se faz? Porque é disso que trata este seu "post". Quer falar-me das virtudes do liberalismo "radical" (não leve a mal este termo) ou quer dissuadir os seus leitores das teorias de esquerda? Espero que continue a revelar-me contrapontos a uma ideologia com que simpatizo porque só assim poderei continuar a ter o prazer de visitar este seu espaço. Peço-lhe, com o mesmo "sff", que construa uma perspectiva das coisas, não que destrua outras. Até breve.
Rui Miguel Neto Pedrosa de Magalhães a 20 de Fevereiro de 2010 às 15:21

Caro Rui [...] Magalhães,

Curiosamente, após uma breve pesquisa da fachada deste blog, não encontrei menção de "textos exclusivamente enfatizando as vantagens do liberalismo". Aliás, um post bastante recente publicitava o novo filme do Woody Alen que consta não ser um economista que siga Friedman ou Hayek.

Quanto à ideologia com que simpatiza, tem todo o direito em acreditar no que quiser, eu acredito em fadas dos dentes, tal como os autores do Replicador têm o direito de criticar ou apresentar criticas de ideologias diametralmente opostas ou mesmo conspirar sobre a morte da bezerra. Ninguém aqui escreve para o patrão.

Mais acrescento, parte da sustentação de qualquer ideia é o enaltecimento desta em detrimento das outras, pelo que a crítica é quase inevitável. Não se trata de retorno mas é verdade também que os ditos "socialistas" (englobando nesta palavra todos os new-age que pensam primeiro nos direitos do Homem antes da inevitabilidade do mundo humano equiparado à maçã que cai na cabeça de Newton) não poupam saliva a criticar o mercado. Isto tudo começou com o Rui Tavares a criticar o pérfido mercado.

Finalmente quero agradecer-lhe a atenção e que continue a desfrutar do conteúdo que proporcionamos, seja ele qual for.

Até já
João Rodrigo a 21 de Fevereiro de 2010 às 18:00

Não quis, com o meu comentário, tirar direitos a ninguém. Que a crítica/ofensa faça parte da análise ideológica, e outras, não constitui novidade para mim. Apenas não faz o meu estilo denegrir publicamente uma ideia.
Assim como espera que continue a visitar o seu espaço, espero que continue igual a si mesmo, em última instância. Com o meu comentário só quis demonstrar o meu ligeiro desapontamento para com alguém cuja inteligência continuo a considerar. Longe de mim censurá-lo: muito diferente de transmitir-lhe o meu desagrado.
Posso garantir-lhe que continuarei a ler "O Replicador". A mancha fica gravada mas, enquanto estiver entretido com os seus "posts", não lhe darei atenção.

Felicito-o por não estar preso às considerações de um patrão. Fosse assim para lá deste mundo virtual e estaríamos muito bem. Não concorda?

Até breve
Rui Miguel Magalhães a 22 de Fevereiro de 2010 às 13:17

Caro Rui,

Há algo que ainda não percebi. Este texto de crítica ao Rui Tavares foi escrito por um autor (que usa as palavras LCD) do blog blasfémias, não foi escrito por mim. Eu apenas o "linkei" porque achei que, a espaços, continha algumas respostas válidas, o que não significa que subscrevo tudo o que está lá escrito ou a forma como está escrito. Do que me pode acusar (por causa do título deste post) é de considerar que o BE ( partido a que o Rui Tavares pertence) é um partido de extrema esquerda, e isso não tenho problemas em o assumir publicamente. Considero que Portugal tem 2 partidos de extrema esquerda que têm 20% dos votos da população. Concomitantemente, as pessoas que pertencem a esses partidos (não necessariamente as que votam neles) estão claramente no círculo da extrema esquerda. Podia-lhes chamar a esquerda à esquerda do Partido Socialista, mas apesar de não desgostar de eufemismos, este seria demasiado grosseiro.

Tirando esse epíteto que usei no título do post, sinceramente não percebo como é que o post é ofensivo. Principalmente porque nem sequer é um texto meu. Dito isto, terei todo o gosto em ouvir as suas críticas em textos escritos por mim.
Filipe Faria a 22 de Fevereiro de 2010 às 15:03

O Filipe teima em achar que o estou a acusar de alguma coisa grave. Não me senti nem sinto ofendido por nada que tenha a sua autoria (e isto inclui o texto "Ler SFF" neste "post" que, quer queira quer não, aproxima-o do exercício elaborado por LCD). Mais uma vez, não quero demove-lo de fazer o que entender ou transcrever os seus pensamentos: não ponho isso em causa! Comuniquei-lhe que simpatizo ( e milito em) com o partido do cronista apenas para que soubesse quem anda a ler os seus "posts", com prazer, reafirmo. Sinto que, a existir uma ofensa, foi o meu reparo. Provavelmente não lhe interessa, mas, dentro desse partido de várias facções, faço algo muito parecido ao texto em link, simplesmente para saber onde piso. Esta abertura deixa-me susceptível à seriedade na tomada de posição das pessoas. Neste caso particular achei leviano da sua parte. Mas isto é para ser levado na desportiva.
Rui Miguel Magalhães a 22 de Fevereiro de 2010 às 17:06

Política, Filosofia, Ciência e Observações Descategorizadas
Facebook
pesquisar
 
RSS
eXTReMe Tracker