O REPLICADOR

Maio 19 2009

Para os que acusam os capitalistas “puros e duros” de frieza, de falta de sensibilidade e de serem gananciosos, eis um exemplo de solidariedade social que organiza-se na cidade de Nova-Iorque para as recentes vitimas da crise financeira: comerciantes de Mannhattan propõem os seus serviços gratuitamente a recém desempregados sem pedir qualquer justificação, um talhante confessa: “Creio que já fui enganado uma ou duas vezes, mas prefiro isto do que humilhar as pessoas ao pedir-lhes provas que estão realmente no desemprego”. Restaurantes organizam-se para oferecer refeições a metade do preço, as engomarias passam a ferro os fatos e camisas dos desempregados sem pedir remuneração e sem serem vítimas da sua generosidade. O site www.volunteernyc.org criou-se para que os que perderam o emprego possam ainda tornarem-se úteis ao oferecerem-se de forma voluntária em vez de ficarem entediados em casa e o responsável do site já pediu ao redactor do New-York Times para que diga aos leitores para não ligarem mais porque curiosamente as linhas telefónicas estão saturadas.


Isto é só mais um exemplo que querer mais liberdade económica não é sinal de falta de qualidades morais e que numa sociedade livre e baseada no mérito, as pessoas são mais responsáveis. A solidariedade social pode ser organizada com eficiência, sem gastar o dinheiro dos contribuintes.


Fonte: www.lefigaro.fr

publicado por Alexandre Oliveira às 12:46

Política, Filosofia, Ciência e Observações Descategorizadas
Facebook
pesquisar
 
RSS
eXTReMe Tracker