O REPLICADOR

Novembro 05 2009

publico.clix.pt/Sociedade/ha-mais-presos-a-matarse-nas-cadeias_1408403


Permitam-me que explique o título tão esotérico. Após a leitura da notícia do nosso querido diário é possível executar o seguinte raciocínio: a cadeia é um local em que se restringe a liberdade dos ocupantes em regime interno. Dentro desta premissa insere-se a restrição ao consumo de droga, acto que mesmo fora da cadeia é "contra a lei" (embora um contra a lei muito subtil do género do aborto segundo o apostolo Rebelo de Sousa). Faz todo o sentido privar os reclusos de estupefacientes já que ajuda a passar o tempo e a sua circulação dá lugar a monopólios perigosos, como evidenciado na notícia.


O grande problema que se põe e que não é mencionado é o da constante evolução tecnológica da população prisional! Hoje em dia, é possível retirar da informação disponível na notícia, conseguem iludir dos guardas plantações de ópio e laboratórios de acetilação de morfina! É fantástico e eu acho que havíamos de lhes perguntar como fazem. Isto porque é impossível que a droga entre já feita nas prisões, afinal de contas são estabelecimentos pagos com os nossos impostos e eu tenho total confiança na aptidão do governo e instituições relacionadas para gerir os fundos das casas de chut...correcção. E na fiscalização dos bens que entram na prisão! Portanto se não podem entrar porque não deixam, a única hipótese é que as drogas estejam a ser produzidas lá dentro.


Esses presidiários astutos...

publicado por João Rodrigo às 13:48

Política, Filosofia, Ciência e Observações Descategorizadas
Facebook
pesquisar
 
RSS
eXTReMe Tracker