O REPLICADOR

Julho 28 2009

No seu livro "The Blank Slate", Steven Pinker, psicólogo evolutivo na universidade de Harvard relembra que a principal diferença entre conservadores e liberais (Direita e Esquerda) reside na concepção antagónica da natureza humana. Enquanto a Direita apresenta uma visão "trágica", a esquerda opõe uma visão utópica e toda a sensibilidade política irá decorrer desta visão do homem:

 

"If you learn that someone is in favor of a strong military, for example, it is a good bet that the person is also in favor of judicial restraint rather than judicial activism. If someone believes in the importance of religion, chances are she will be tough on crime and in favour of lower taxes. Proponents of a laisser-faire economic policy tend to value patriotism and the family, and they are more likely to be old than young, pragmatic than idealistic, censorious than permissive, meritocratic than egalitarian, gradualist than revolutionary, and in a business rather than a university or government agency.

The opposing positions cluster just as reliably: if someone is sympathetic to rehabilitating offenders, or to a tolerance to homosexuality, chances are good that he will also be a pacifist, an environmentalist, an activist, an egalitarian, a secularist, and a professor or a student.

 

Why on earth should people's beliefs about sex predict their beliefs about the size of the military?"

 

Assim, a teoria da natureza humana de cada individuo influência a sua opinião acerca das mais variadas questões politicas: a visão trágica não depositará grandes esperanças em relação as virtudes do homem e a sua perfectibilidade, e irá por consequente preferir medidas pragmáticas. Por seu lado, a visão utópica acredita na completa plasticidade do cérebro humano, e no mito do bom selvagem de Rousseau. Logo as politicas de esquerda tenderão a assumir uma dimensão ideológica, que entende-se capaz de melhorar a sociedade através de iniciativas impostas de cima.

 

 

Pinker conclui o capitulo dizendo que na sua opinião, os avanços da psicologia evolutiva e da genética comportamental nas ultimas décadas mitigaram as pretensões da esquerda ao revelar uma natureza humana mais próxima da corrente de Hobbes que de Rousseau. Como se fosse uma evidência, acaba dizendo: "Every Student of political science is taught that political ideologies are based on theories of human nature. Why must they be based on theories that are three hundred years out of date?"

 

Eu sei que no meu curso, o tema da natureza humana foi tratado mais do que superficialmente. Discutiu-se modelos de sociedade sem meter em causa o comportamento humano. Discutiu-se a gestão de alternativas sem estudar a natureza do "animal político".

publicado por Alexandre Oliveira às 16:00

Política, Filosofia, Ciência e Observações Descategorizadas
Facebook
pesquisar
 
RSS
eXTReMe Tracker