O REPLICADOR

Junho 10 2009

Torna-se caricato assistir a uma daquelas discussões entre os cruzadísticos defensores da bandalheira social sobre a criminalidade.
 
A determinado ponto há um que diz sempre: "Na sociedade actual é inevitável", seguidamente todos os outros expressam pesar e fazem esgares pesados de concordância. Como se a modernidade ou algum ente abstracto fosse culpado inalienável disto mesmo.
 
É nestas alturas que a minha japonofilia me acorre mais rapidamente e intensamente. A minha cidade favorita, Tokyo, vem-me imediatamente à cabeça. O meu amigo Tsubasa a marcar lugar numa mesa dum centro comercial com o seu portátil para irmos buscar comida a outro andar é o próximo "zoom" que me ocorre.
 
Pois é, esta singela cidade tem o crime a decrescer há 7 anos seguidos, e não, não existe um estado policial. Trata-se da capital da segunda maior economia mundial, uma cidade de 30 milhões de pessoas em que se cruzam várias formas de vida. E simplesmente todos os argumentos caiem na base.
 
O que eles chamam "inevitabilidade" eu chamo "laxismo social e estatal", o que eles chamam "consequências da sociedade moderna" eu chamo "consequências da desresponsabilização".

publicado por Diogo Santos às 14:45

Política, Filosofia, Ciência e Observações Descategorizadas
Facebook
pesquisar
 
RSS
eXTReMe Tracker